Notícias

Quebradeiras de Coco lançam Mapa da Região Ecológica dos Babaçuais

Quabradeiras_CocoBabau_MAO Mapa da Região Ecológica dos Babaçuais foi lançado na última quinta-feira (26) no Palácio de Karnak, sede do governo do Piauí, localizado na região central de Teresina. A construção do Mapa foi promovida pela Cartografia Social da Amazônia junto com o Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), além da várias outras instituições parceiras. O trabalho foi realizado em regiões dos estados do Piauí, Maranhão, Bahia e Tocantins.

(Fonte/Imagem: CPT Piauí)

No estudo, que deu origem à configuração do mapa, foram realizadas pesquisas de campo georeferenciadas por mecanismos audiovisuais, oficinas, reuniões, mutirões, minilaboratórios, dentre outros, que levaram à constatação de que a área dos babaçuais no Piauí aumentou de 18 para 25 milhões de hectares.

As pesquisas foram feitas em todo o território do Cocais e Entre Rios com a participação de quebradeiras de coco e outros estudiosos.

A Comissão Pastoral da Terra no Piauí (CPT-PI), que acompanha o trabalho de associações de mulheres quebradeiras de coco, também participou da construção do Mapa.

“O mapa é muito importante para as quebradeiras de coco babaçu, para o conhecimento de onde está o babaçu que é matéria prima do nosso trabalho, para que se protejam as árvores dessa espécie e que fortaleça o nosso trabalho, para que ele permaneça”, destaca Antônia Macilene, quebradeira de coco da comunidade Retrato, localizada no município de Miguel Alves.

LEIA MAIS:  

Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu

CARTOGRAFIA SOCIAL NA REGIÃO ECOLÓGICA DO BABAÇU: estratégias de quebradeiras de coco e processos sociais atinentes aos babaçuais

 Quebradeiras de coco-babaçu pedem reconhecimento da atividade

O professor da instituição parceira Universidade Federal do Piauí (UFPI), Alfredo Wagner, destacou que o território dos Cocais tem sido importante para a economia do Piauí desde 1911 e abrange a extensão que passa por mais de 100 municípios. “Ou seja, no trabalho para a construção do Mapa, conseguimos mapear cerca de 50% do território”.

O Mapa foi entregue ao governador Wellington Dias (PT). O MIQCB entregou ainda uma carta oficial, na qual destaca o trabalho e as reivindicações das trabalhadoras. Dentre elas, estão o pedido de regularização das terras do Babaçu no estado e o auxílio do governo para a preservação de toda essa área.

Dexe um comentário

*